Fim de 2015 e um ano de blog – Parte 1: Os posts mais lidos




Oi, amigos, como estão? Espero que estejam bem =)

Esse é o primeiro post de uma série em três partes que farei durante o mês de dezembro, já que o blog completou um ano de existência há pouco tempo e com o fim de 2015 eu espero fazer mais mudanças por aqui, pq mudar é quase sempre bom. Eu já tinha mexido numas coisas por aqui, mas ainda há o que melhorar, aliás, sempre, né?

Nessa primeira, links pros 5 posts mais vistos esse ano e um trecho de cada um. Na segunda, reunirei os melhores achados musicais segundo a minha opinião e na terceira e última, um post sobre o que esperar do blog em 2016. Sem mais, aos links!




Hj, com 22 anos, sou da opinião que quando a gente é adolescente, acaba se preocupando demais com a visão que os outros têm de nós, e por isso deixa passar muita coisa boa. Sim, é verdade, por mais que o orgulho não me deixasse admitir isso antes, acho que sempre soube que é assim. Isso não foi legal pra mim na época, pq fez de mim uma pessoa resistente a mudanças, ansiosa e infeliz. Uma vez me perguntaram do que eu mais me arrependia na vida, e depois de pensar um pouco, respondi que me arrependo de não ter sido tão corajosa quanto gostaria, e isso foi por me preocupar demais.









É claro que não tem nada de errado em ser extrovertido. Esse é o jeito de alguns. Nós também precisamos de bons líderes, e é útil saber conviver e trabalhar com outras pessoas. O que é errado é impor esse modelo como o único caminho a seguir pra se obter um resultado eficaz no trabalho da escola ou no projeto da empresa. O que é errado é esquecer que existe o outro lado. Aceitar esse padrão sem ao menos questioná-lo, sem nunca pensar sobre ele.









Muito se fala sobre as performances intensas de Alice no palco e sobre sua atitude, expressando opiniões fortes sem rodeios (tipo "O mainstream odeia as mulheres"), mas achei pouquíssima informação sobre seu estilo. Sério, só encontrei posts breves e sem muitos detalhes em blogs, e quase tudo post antigo.









Que o nosso quarto é o nosso refúgio particular, todos sabem. E por isso mesmo é importante que ele siga o nosso estilo. Bom, alguns de nós precisam dividir o quarto com um irmão, ou têm pouco espaço mesmo (os dois são meu caso), mas sempre é possível dar um jeito de deixar o ambiente conforme o nosso gosto, o que deixa tudo muito mais agradável =)






Eu não odeio a trend, na verdade eu gosto bastante dela e já usei em produções por aí. E sim, eu curto o som grunge e admiro a subcultura de 20 anos atrás, e muito embora o soft tenha pouco ou nada a ver com o movimento musical, não vejo problema algum em aproveitar os looks, Seguir ou não uma tendência é questão de gosto. 





E essa é a primeira parte da série ^^ Pra quem já tinha visto os posts, espero que tenham gostado de relembrar, e pra quem não viu fica a chance =)


Um beijo e até a segunda parte! =)




Comentários

Leram essa semana